8 de jun de 2008

Pato quer vitória em Assunção para apagar vexame

Com atuação apagada na histórica derrota para a Venezuela na cidade de Boston, o atacante Alexandre Pato reconhece que a Seleção Brasileira não foi bem no amistoso realizado nesta sexta-feira, mas acredita que o grupo pode apagar a má imagem deixada caso consiga bater o líder Paraguai no próximo dia 15, em Assunção, pela quinta rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010.

Atuando ao lado de Adriano no ataque titular, o jovem jogador do Milan não teve muitas chances enquanto esteve em campo, mas destacou que a partida servia apenas como preparação, sendo que os jogos importantes serão disputados nos próximos dias.

- A gente trabalha para fazer o melhor. Não fomos bem, perdemos o jogo, mas o importante é ganhar do Paraguai e apagar essa história. Temos dois jogos importantes que precisamos ganhar - disse o atacante, referindo-se também ao confronto com a rival Argentina, marcada para o dia 18, no Estádio do Mineirão.

Substituído pelo meio-campista Diego na volta para o segundo tempo, Pato disse que não teve bronca do técnico Dunga no vestiário após a derrota e mais uma vez destacou que este era o momento em que a Seleção poderia perder, mesmo que o revés represente o primeiro diante dos venezuelanos no histórico dos confrontos.

- Infelizmente não fomos muito bem. A Venezuela jogou muito bem e conseguiu a vitória. Aqui a gente podia perder, mas agora não podemos perder neste dois jogos das Eliminatórias - disse o atacante do Milan.

Outro atleta do grupo verde e amarelo que elogiou o desempenho dos rivais foi o lateral-direito Maicon, que entrou na vaga de Daniel Alves durante o segundo tempo. Ocupando a quinta posição nas Eliminatórias Sul-Americanas, a Venezuela mostrou um bom futebol, principalmente no primeiro tempo, mesmo atuando em um estádio repleto de torcedores brasileiros.

- Eles jogaram um bom futebol desde o início e a gente não. Pecamos nos detalhes que não podíamos pecar e eles acabaram vencendo a partida. Agora é levantar a cabeça para as Eliminatórias - afirmou.