14 de dez de 2008

Kayky Brito: vida na TV


De uns tempos para cá, Kayky Brito mudou sua postura. Deixou o visual de garotão de lado, passou a adotar roupas mais formais quando a ocasião permite e tenta, aos poucos, se acostumar com a fama que conquistou. A preocupação em passar uma imagem mais madura, com apenas 20 anos, não é por pura vaidade. O intérprete do surfista Paulinho de Três Irmãs pressente que, mais dia, menos dia, vai ser protagonista de uma novela. Já até ouviu comentários sobre ser visto como o futuro galã da emissora. O que, modestamente, enxerga como um "processo natural" em sua carreira.

"Sempre tento fazer um bom trabalho. Já escutei essas coisas, mas recebo apenas como uma crítica positiva. Não fico nessa ansiedade.Me motiva para melhorar cada vez mais", diz.

Se o objetivo é evoluir, Kayky Brito considera que não poderia estar melhor. O ator não tem dúvidas de que Três Irmãs é o folhetim favorito de seu currículo. Mesmo concorrendo com os outros sete. O motivo está na essência da história: o surfe. Desde pequeno Kayky se encanta com as ondas. E, já que o trabalho ‘obriga'', aproveita o momento atual para ficar o mais próximo possível da temática da trama de Antônio Calmon. "Procuro freqüentar mais a praia, praticar esse estilo de vida. Além de me ajudar na profissão, esqueço do mundo quando estou na água."

Além de conhecer o vocabulário do esporte, o ator também já viveu essa experiência em outra novela, também de Calmon. Quando gravava Começar de Novo, contou com aulas do profissional Tiago Mariano. Para o novo trabalho, Kayky chegou a, como se refere, "dar uma caída" no mar com outro surfista profissional, Rico de Souza. "Foi logo no começo, mas nada demais. Para as cenas mais difíceis a equipe conta com dublês, então tudo fica mais fácil", afirma ele, que jura também não ter mudado o visual para o papel. "Fiz muitos personagens com o cabelo pintado de preto. Mas a cor natural é essa. Só ficou um pouco mais claro por conta do sol", explica.

O ator se diz "viciado" em exercícios físicos. E aproveita o surfe para manter a forma que apresenta no ar desde Sete Pecados. Kayky garante que o bom físico é reflexo apenas de suas práticas esportivas, que incluem natação, corridas na areia e até caminhadas em trilhas. E reconhece que o resultado dessas atividades o favorece em sua carreira. "Saí de Cobras & Lagartos um menino e reapareci um ano depois com corpo de homem. Isso ajuda a desvencilhar um pouco a imagem de ator-mirim que eu carrego", analisa.

Famoso por interpretar tipos estranhos - como um vampirinho, em O Beijo do Vampiro, e um menino criado como menina, em Chocolate com Pimenta -, Kayky reconhece que deu sorte. "Sempre fui convidado para fazer personagens legais. Muita gente reclama de escassez de trabalho na adolescência, mas desde 2001 estou contratado e não parei de trabalhar", valoriza.

Mas sabe que boa parte do público ainda o enxerga como um menino. "Não tenho pressa para me tornar adulto na teledramaturgia. Mas é claro que não custa nada ajudar. Acho que daqui para frente minha carreira já pode tomar outros rumos", avalia, dando a entender que torce por conflitos diferentes dos adolescentes nas tramas futuras.

O primeiro papel de Kayky Brito em novelas aconteceu por acaso, em 1999, no SBT. O ator estava na Argentina com a mãe em função das gravações de Chiquititas, em que sua irmã, Stephany Brito, atuava. Na época com 10 anos, fez um teste e acabou ganhando também um papel.

Com novas oportunidades surgindo para a dupla, a família inteira se mudou de São Paulo para o Rio em 2001. Neste mesmo ano, Kayky foi escalado para interpretar o vampirinho Zeca, filho da protagonista Lívia, de Flávia Alessandra, em O Beijo do Vampiro. "Tem gente que ainda me chama de Zeca nas ruas. É um papel que me rende bons frutos até hoje. Desde essa época tenho contrato longo com a Globo", explica.

Os elogios pela atuação renderam, dois anos depois, mais um trabalho inesquecível. Em Chocolate com Pimenta, Kayky encarnou uma adolescente dos anos 1920, Bernadete, que ao longo dos capítulos descobria ser um menino em uma consulta médica. "Acho que nunca vou rir tanto gravando uma novela como naquele período", lembra o ator.

Depois disso, Kayky marcou presença em Começar de Novo, Alma Gêmea, Cobras & Lagartos e Sete Pecados.

Ele planeja, em breve, fazer vestibular e cursar Comunicação Social. Mas só depois que a novela acabar. "Não quero ter de conciliar duas coisas. Na hora em que eu começar uma faculdade, quero ter tempo para iniciar o curso bem", diz.

Apesar dos nove anos de carreira, Kayky conta que ainda não se acostumou com a fama. "Às vezes vejo as pessoas tirando fotos minhas e me toco de que eu sou mesmo famoso. Acho o maior barato", fala, envergonhado.

Kayky ainda mora com os pais e faz questão de deixar a cargo deles a administração de sua carreira e de seu dinheiro. "Acho melhor ter pessoas mais maduras coordenando essa parte", opina.

Além de integrar o elenco de Três Irmãs, Kayky aguarda para 2009 o lançamento do longa Dores e Amores, gravado no Brasil e em Portugal. Além do ator, o filme conta ainda com a atuação de Fiorella Matheis.

Texto de: Márcio Maio da TV Press para a Coluna Cultura e Lazer do Jornal Diário do Grande ABC.